31.12.08

À Conversa com Alexandre Rosa

PROGRAMA 14 - ANO 2

O grande comentário aos maiores acontecimentos que ocorreram em 2008 numa vertente internacional. Os temas que foram notícia neste ano que termina desde a componente económica até à componente política e social.








"À Conversa com Alexandre Rosa", ano 2, emissão nº 14 transmitida no dia 26/12/2008

22.12.08

Banco de Ensaio nº 67
André Sarbib - This It It!

Existem amores à primeira vista e existem discos que nos conquistam desde o primeiro momento. O terceiro álbum de André Sarbib, “This Is It”, é um trabalho que nos faz sonhar mesmo quando estamos, em plena hora de ponta, na confusão apocalíptica do trânsito lisboeta. Navegando por sonoridades jazz, André Sarbib interrompeu um silêncio discográfico de 15 anos e ousou juntar a sua poderosa voz a onze temas de grande fôlego, sendo cinco deles da sua autoria. Além de aconselhar a audição deste CD – que considero um dos melhores registos jazz gravados no nosso país – deixo, a todos, a sugestão de se deslocarem à Casa da Música do Porto no próximo dia 16 de Janeiro de 2009. André Sarbib e os músicos que o acompanham prometem uma noite de jazz inesquecível.


Banco de ensaio nº 67 transmitido no programa Atlântico da Miróbriga em 20/12/2008

André Sarbib - La Valse Des Lilás:

21.12.08

Gomes, Peres e Ribeiro

30 ANOS DE UHF

Para breve algum material recolhido ontem na Academia Almadense a propósito do concerto de 30 anos dos UHF.

Até lá deixo-vos um pequeno video recolhido no concerto e sugiro uma visita a este blogue amigo. Clicar aqui.

20.12.08

À Conversa com Alexandre Rosa

PROGRAMA 13 - ANO 2

Destaques:

* O pacote de medidas anunciado pelo Governo no combate à crise
* Manuel Alegre e a possibilidade de criação de um novo partido político
* A visita do Primeiro-Ministro ao distrito de Setúbal


"À Conversa com Alexandre Rosa", ano 2, emissão nº 13 transmitida no dia 19/12/2008

18.12.08

UHF celebram 30 anos

ANTÓNIO MANUEL RIBEIRO EM GRANDE ENTREVISTA


No próximo sábado, dia 20 de Dezembro, em Almada, os UHF vão encerrar a digressão em que celebram 30 anos de carreira. No final de 2007 tive uma longa conversa com António Manuel Ribeiro de onde resultou um especial transmitido na Miróbriga em Janeiro de 2008. O discurso foi intenso, à flor da pele, com a frontalidade que sempre o caracterizou e que lhe granjeou a fama de mau rapaz e de persona non grata do rock português.

Para quem não escutou sugiro vivamente a sua audição.

Clicar para escutar.

Em alternativa pode fazer o download do ficheiro para o seu computador. Para tal deve posicionar o cursor do rato no link desejado e clicar com o botão direito escolhendo a opção "save target as..."ou "save link as..." dependendo do browser utilizado.

Mais informações do concerto do próximo sábado: www.uhfrock.com

17.12.08

Banco de Ensaio nº 66
Greg Camp - Defektor

O álbum de estreia do ex: Smash Mouth, Greg Camp, “Defektor”, editado em Setembro de 2008, vem carregado de energia new wave.







Banco de ensaio nº 66 transmitido no programa Atlântico da Miróbriga em 13/12/2008

16.12.08

Deixa-me rir...

Quando a informação “dita séria” se esquiva da sua missão de mostrar a realidade dos factos, somente nos resta o humor para divulgar as verdades incómodas. É nesta ditadura dos 3 grandes que asfixiamos um desporto que já foi rei e que, neste momento, caminha para o abismo com estádios vazios, salários em atraso e situações “esquisitas” a ocorrerem todos os fins-de-semana.
Os protagonistas no futebol de hoje são os dirigentes, os comentadores de aviário e os árbitros amadores que mexem com um negócio de milhões. Triste sina esta, de um futebol moribundo, provavelmente, já morto, mas, em que ninguém soube ler a respectiva certidão de óbito, tais são as dívidas brutais que Benfica, Sporting e Porto possuem.

No meio de uma gravíssima crise económica e financeira internacional, alguém duvida de que o “dinheiro fácil” que sustentou este desporto já se esgotou? Estarão os adeptos do futebol conscientes dos passivos dos clubes? E não estou a referir-me a Vitória de Setúbal, Boavista ou Estrela da Amadora. Segundo a revista Sábado (edição de 4 a 10 de Dezembro de 2008), o Benfica tem um passivo de 148 milhões de euros, o Porto de 146 milhões de euros e o Sporting de 137 milhões de euros!
Para os mais distraídos que consideram estes números pouco expressivos, posso acrescentar que qualquer um destes três clubes portugueses tem um passivo superior a 50% da dívida do gigante mundial Real Madrid!

O abismo é de tal forma negro que a crise no futebol ainda está no início, contudo, os tempos que se aproximam a passos largos serão devastadores. E quanto menor for a verdade desportiva, maior o trambolhão que se irá seguir. Não tenho dados estatísticos que sustentem esta minha afirmação, porém, não estarei muito longe da realidade se afirmar que a taxa de credibilidade do futebol caminha para valores negativos.

A situação é de tal ordem que até no programa Contra-Informação se afirma “à boca cheia” que os árbitros conseguiram colocar o Belenenses no último lugar do campeonato.

Deleitem-se com este excerto da Contra-Informação do passado fim-de-semana que tive oportunidade de assistir na RTN e que o meu amigo Miguel Amaral me fez chegar por email.

Vejam e divulguem junto dos amigos porque vale a pena!

15.12.08

À Conversa com Alexandre Rosa

PROGRAMA 12 - ANO 2

Destaques:

* A transição presidencial nos Estados Unidos de George Bush para Barack Obama
* Os últimos desenvolvimentos da crise económica nacional e internacional
* A situação no sector da Educação
* Avaliação dos últimos 8 dias no Litoral Alentejano
* Os 100 anos de Manoel de Oliveira


"À Conversa com Alexandre Rosa", ano 2, emissão nº 12 transmitida no dia 12/12/2008

12.12.08

Quem faz 39 quer fazer mais 100

Manuel de Oliveira, o realizador de Aniki-Bobó (1942), chegou aos 100 anos numa forma física incrível. Eu atinjo, hoje, a meta dos 39 e prefiro os 39 aos 100.

No ano do meu nascimento (1969), o Homem chegou à Lua, o Belenenses foi menos roubado, as telenovelas não passavam na televisão, o meu filho ainda não tinha nascido, o rock português gatinhava e também estava frio por esta altura - conforme se pode constatar pela imprensa da época.

Os bebés em 1969 também eram bonitos!

Em 1969 já existia comunicação social!

Vale a pena clicar para ler.

10.12.08

Chamem a polícia

A diferença entre o erro humano e a intenção propositada de prejudicar um clube de futebol é de difícil fronteira, pois, existirá sempre a dúvida se essa falha foi mesmo intencional ou resultado de um erro involuntário. Quando estamos na presença de erro devemos assumir que a lei das probabilidades será respeitada e que a tendência, ao longo de 90 minutos, será de enganos equilibrados para as duas equipas em confronto.

Quanto tal não sucede e a equipa prejudicada é sempre a mesma, difícil será acreditar que a razão aleatória do erro suceda sempre para o mesmo lado. A científica lei das probabilidades assim o contesta e o bom senso também o contradiz.

Sendo o futebol um jogo exigente e com elevada competitividade, acaba por ser habitual a existência de erros. Também é habitual que os clubes reclamem quando se sentem injustiçados e recorram às instâncias desportivas da Liga ou da Federação, consoante a competição em causa.

Vem esta introdução a propósito de algumas arbitragens que têm calhado ao Clube de Futebol “Os Belenenses” ao longo deste campeonato. Os jogos na Amadora e no Funchal mostraram, a todo o país, árbitros que erraram sempre para um mesmo lado e sempre através de erros escandalosos que tiveram consequência directa no resultado final.

Ao verificarmos estas ocorrências podemos questionar a falha involuntária. E passamos a ter toda a legitimidade para interrogar se estamos na presença de algo mais sério, que ultrapasse a justiça desportiva. O facto de situações tão bizarras como as verificadas na Amadora ou no Funchal acontecerem num desporto que movimenta largos milhões de euros já é, suficientemente, grave; porém, a gravidade aumenta quando se sabe que o Belenenses vive momento financeiro, particularmente, complicado e que a descida de divisão poderá ter consequências explosivas na sobrevivência da colectividade. Ora, sabendo-se que os terrenos que o clube possui no Restelo são uma verdadeira mina de diamantes, uma oportunidade de negócio de dimensões gigantescas, não é mera teoria da conspiração questionar se não existem elevados interesses num cenário que conduza à extinção do Belenenses. Na verdade, ao longo dos últimos anos, diversas têm sido as tentativas, fracassadas, do clube poder rentabilizar o seu milionário património. Todavia, num dia em que o Belenenses encerre, alguém crê que aqueles terrenos sejam preservados para a prática desportiva?

Quanto às ocorrências recentes, parece-me que uma denúncia para possível investigação criminal seria o mais sensato porque conversas inconsequentes com quem faz parte do problema não nos levarão a lado nenhum. Atente-se nas declarações de António Sérgio, presidente da APAF, o qual – sem investigar, rigorosamente, nada – afirma não existir qualquer perseguição dos árbitros. Deviam ser as próprias pessoas sérias, que acredito que ainda existam no mundo cão da bola, a exigir a intervenção de quem de direito. Erros graves deviam motivar penalizações desportivas e erros deliberados deviam ser penalizados em tribunal. Se um árbitro não erra mas, deliberadamente, prejudica um clube, isso não é desporto, mas um caso de polícia.

9.12.08

k2o3 - um case study

Quando uma canção com mais de 10 anos voa e é conhecida no meio dos adolescentes de 2008 é porque algo de muito importante foi concebido. A "Vaquinha" é um sucesso, que aquando da sua edição nunca o chegou a ser, junto do designado "grande público", mas, que teima em se transformar num êxito alternativo, a qual, num destes dias, ainda sobe a escada mainstream. A prova de que os k2o3 são uns ilustres desconhecidos cheios de fãs espalhados por Portugal chega-nos das diversas descobertas que se vão fazendo no YouTube.

Ora cá ficam três exemplos lapidares:

Uma "Vaquinha" acústica:


Uma "Vaquinha" urbana:


Uma "Vaquinha" com outra guitarra ritmo:

7.12.08

Revolta e k2o3 no InLiveCaffé

Os músicos fora do palco e o público em plena celebração.






k2o3 em acção

O concerto de k2o3 no InLiveCaffé (Moita) provou que estamos na presença de um caso que nunca foi a brincar, mas, que poderia ser bastante sério. A indústria musical portuguesa nunca teve consciência plena da importância desta rapaziada no seio do punk-rock lusitano. Aguentar mais de uma hora, com toda a gente a cantar os temas, não está ao alcance de qualquer grupo, sobretudo, quando somente têm editados dois álbuns - o terceiro está a ter um parto lento e vagaroso, mas, será certamente, mais um sucesso popular tal a expectativa que está a gerar no underground luso.

Ulisses, Mini, Chaves e Ivan em plena actuação no InLiveCaffé.



k2o3 em aquecimento

Ivan, Mini e Chaves em aquecimento antes do concerto. Vida de músico não é fácil...

Um grito de Revolta

Existe uma Revolta no punk-rock português que grita bem alto as injustiças globais e que recupera alguns clássicos da nossa música em formatos mais encorpados.
Foi bom rever tanta gente amiga e daqui vai um abraço para o Toninho, Bruno e Anselmo. Já agora, Toninho, depois de leres este post envia-me a versão do "Persona Non Grata"!

Fotos da actuação de Revolta no concerto de ontem no InLiveCaffé na Moita.


4.12.08

3.12.08

Banco de Ensaio nº 65
Jenny Lewis – Acid Tongue

O segundo álbum a solo de Jenny Lewis, editado em Setembro de 2008, eleva a fasquia e ultrapassa as excelentes referências passadas. Esta cantora e compositora já com 10 anos de carreira, navega por sonoridades country e rock alternativo. Em “Acid Tongue” abusou da inspiração e chamou vários amigos para perto de si. Elvis Costello é um desses amigos e é ele que surge em “Carpetbaggers”.


Banco de ensaio nº 65 transmitido no programa Atlântico da Miróbriga em 29/11/2008

Jenny Lewis & Elvis Costello - Carpetbaggers (ao vivo):

1.12.08

À Conversa com Alexandre Rosa

PROGRAMA 11 - ANO 2

Destaques:

* Os últimos desenvolvimentos da crise económica e o Plano anunciado por Durão Barroso
* A situação no sector da Educação
* O posicionamento de Marcelo Rebelo de Sousa na eventual sucessão a Manuela Ferreira Leite
* As críticas constantes de Manuel Alegre à governação socialista
* A visita de Xanana Gusmão a Portugal
* As comemorações dos 171 anos da Sociedade Harmonia em Santiago do Cacém


"À Conversa com Alexandre Rosa", ano 2, emissão nº 11 transmitida no dia 28/11/2008

27.11.08

A melhor prenda de Natal

A melhor prenda de Natal vai surgir no dia 20 de Dezembro em Almada. Os maus rapazes da música portuguesa encerram a celebração de 30 anos de carreira na cidade que os viu nascer. O concerto, que promete partir as estruturas do Cinema da Academia Almadense, tem lotação limitada a 833 lugares e vai contar com participações especiais dignas de incendiar qualquer fã que se preze. Renato Gomes e Carlos Peres irão estar em palco e o acontecimento promete bastante. Espero que exista gravação de imagens para posterior edição em DVD.

Como aperitivo, os UHF disponibilizam a nova canção, "O tempo é meu amigo", no seu myspace. O tempo pode ser mau amigo de todos nós, mas, uma coisa é certa, 30 anos depois, o tempo deu razão ao persona non grata do rock português. António Manuel Ribeiro está em cima de um palco enquanto outros fizeram as malas e se reformaram.

Os bilhetes podem ser comprados através da internet em ticketline ou nos locais habituais.

26.11.08

Trabs destacam BdE

No novo site dos Trabalhadores do Comércio existe uma imagem com um excerto da minha crítica ao seu CD "Iblussom". Só uma correcção. O meu texto não é de Julho, mas, de 26 de Maio de 2007. Seja como for, vão daqui grandes abraçuuuus aos Trabs!

25.11.08

Banco de Ensaio - Edição Especial
João Gil - A entrevista

No dia 14 de Novembro entrevistei João Gil e troquei uma pequena conversa com João Campos - a voz deste novo projecto a solo de Gil.
Estas conversas foram transmitidas numa edição especial do BdE, no passado sábado, no Atlântico da Miróbriga .

Entrevista a João Gil:


Entrevista a João Campos:


Promocional ao programa Atlântico:

24.11.08

Vaticano elogia Beatles

Vivia-se o ano de 1966 e ainda eu não tinha nascido. Os Beatles estavam no topo do mundo e John Lennon solta uma frase que ficou para a História do século XX ao afirmar que "os Beatles são mais populares do que Jesus Cristo".

Como se poderá imaginar a polémica estalou com uma dimensão própria de um planeta em início de processo de globalização. Lennon não foi queimado na fogueira, mas não se livrou de fortíssimas críticas dos mais diversos sectores.

Passaram mais de 40 anos e o Vaticano parece ter feito as pazes com John Lennon. Pelo menos ao lermos o jornal oficial, L'Osservatore Romano, ficamos a saber que o álbum branco dos Beatles é considerado "uma antologia musical mágica".

Mais informações

23.11.08

À Conversa com Alexandre Rosa

PROGRAMA 10 - ANO 2

Destaques:

* Análise à primeira grande entrevista de Barack Obama na sua condição de próximo Presidente dos Estados Unidos
* Os últimos desenvolvimentos da crise económica nacional e internacional
* A situação no sector da Educação
* A polémica gerada pelas recentes declarações de Manuela Ferreira Leite
* Avaliação dos últimos 8 dias no Litoral Alentejano com relevo para Santiago do Cacém e Odemira


"À Conversa com Alexandre Rosa", ano 2, emissão nº 10 transmitida no dia 21/11/2008

19.11.08

O outro lugar em blogues azuis

Alguns dos meus textos recentes sobre o Belenenses tiveram direito a uma exposição pública em dois blogues azuis de referência.
Aqui ficam as imagens dos posts - o primeiro é do Blogue CFBelenenses e o segundo do Blog do Belenenses.


18.11.08

Banco de Ensaio nº 64
João Gil – João Gil

Com mais de 30 anos de carreira, João Gil é um dos mais importantes compositores portugueses, tendo deixado marcas visíveis em projectos tão marcantes como Ala dos Namorados ou Trovante. Após uma primeira experiência a solo, em 2001, aquando dos seus 25 anos de carreira, Gil assume a sua própria libertação ao assinar um inédito álbum de originais em nome próprio. Este projecto musical pode ser apreciado na próxima sexta-feira, dia 21 de Novembro, no Centro Cultural Olga Cadaval em Sintra.


Banco de ensaio nº 64 transmitido no programa Atlântico da Miróbriga em 15/11/2008

João Gil explica o novo trabalho:

16.11.08

À Conversa com Alexandre Rosa

PROGRAMA 09 - ANO 2

Destaques:

* Os últimos desenvolvimentos na crise económica nacional e internacional
* A situação no sector da Educação
* A questão ocorrida na Assembleia Regional da Madeira
* Avaliação dos últimos 8 dias no Litoral Alentejano com especial destaque para a APS e para iniciativas nos concelhos de Grândola e Alcácer do Sal.


"À Conversa com Alexandre Rosa", ano 2, emissão nº 09 transmitida no dia 14/11/2008

15.11.08

Campo Grande

Jorge Palma merecia mais. Começando pelo facto de não ter merecido que a FNAC tenha decidido comemorar, no mesmo dia, 10 anos em terras lusas com um concerto à borla no Pavilhão Atlântico, na verdade, o recinto foi pequeno para o talento e grande para a moldura humana. Não estivesse eu habituado às bancadas despidas do Restelo e acharia que tinha estado pouca gente no espectáculo de Jorge Palma. Os optimistas falarão em "bem composto" e os pessimistas em meio vazio. Num balanço em cima do acontecimento direi que não gostei da maioria do público (tudo sentado de forma ordeira?!), não gostei do som quadrifónico e não gostei do local escolhido para o concerto - aquele palco a rodar deixou-me tonto...
Ao invés, apreciei o melhor de qualquer concerto: as músicas, os músicos e o fantástico Jorge. E, quando o Palma toca no piano, sem mais ninguém no palco, tudo ganha uma dimensão celestial.

Como estamos quase no Natal gostaria de pedir ao Jorge um concerto mais intimista! O pessoal tem saudades.

Alinhamento:
Dormia tão sossegada
Rosa branca
Voo nocturno
Tempo dos assassinos

A Balada de um estranho
Fado do encontro (com Tim)
Minha senhora da solidão
Escuridão (vai por mim)
Quem és tu, de novo
Dizem que não sabiam quem era
Estrela do mar
Jeremias, o fora da lei
Abrir o sinal
Gaivota dos alteirinhos
O bairro do amor
Onde estás tu mamã? (Canção de Lisboa)
Senta-te aí (com João Gil)
Encosta-te a mim
Vermelho redundante
Quarteto da corda
Dá-me lume
Deixa-me rir
Frágil
Disse fêmea
Olá, tenho que ir andando
Portugal, Portugal

Encore
Cara d'anjo mau
Finalmente a sós
A gente vai continuar
Picado pelas abelhas
Like a Rolling Stone


Reportagem Blitz